Os custos das taxas de administração

1 Flares Twitter 0 Facebook 1 Google+ 0 LinkedIn 0 Email -- Filament.io 1 Flares ×

Um dos pontos mais negligenciados pelos investidores na hora de investir é a taxa de administração cobrada pelas  gestoras de seus investimentos. Há bancos e gestores de investimentos que cobram taxas absurdas, da ordem de 4% ou 5% ao ano – um percentual que, aliado aos custos com impostos e às perdas com a inflação, pode minar a capacidade de seu investimento de produzir algum resultado para o investidor.

Para mostrar os custos com as taxas de administração cobradas pelas instituições financeiras, efetuei alguns cálculos com o objetivo de mostrar como elas podem resultar em um resultado ínfimo para quem aplica o dinheiro (você), mas muito bom para quem administra o investimento.

Nessa primeira tabela, mostro o exemplo de um investidor que aplica R$ 100.000,00 por um período de 15 anos em um fundo de investimento que cobra 1% de taxa de administração (uma taxa relativamente baixa para padrões brasileiros) e traz um retorno, descontado o Imposto de Renda, de 9% ao ano. Considera-se uma inflação de 5% ao ano. Vejamos o resultado líquido do investimento no período:

wpid-wpid-Imagem21-2010-06-7-09-00-2010-06-7-09-00.png

Nessas condições, o patrimônio teria tido, em 15 anos, uma rentabilidade real de 51,25%. Não é muito bom, já que considerei uma taxa de retorno líquido razoavelmente baixa (9% ao ano), mas compatível com a realidade de alguém que invista em fundos de renda fixa que aplique seus recursos em determinados títulos do tesouro direto. Em outras palavras, fui conservador no cálculo.

Observe, ainda, que a taxa de administração cobrada é razoavelmente baixa para os padrões nacionais – 1% ao ano. Mesmo assim, para cada 3 reais ganhos pelo investidor com a aplicação, descontada a inflação, a instituição financeira ganharia 1 real em taxas de administração. Isso é caro demais!

E as coisas poderiam ser piores. O que aconteceria se usássemos uma taxa de administração maior, de 3% ao ano? Vejamos a tabela:

wpid-wpid-Imagem31-2010-06-7-09-00-2010-06-7-09-00.png

Como o leitor pode observar, a rentabilidade do investimento foi ainda pior: apenas 14%, o que dá uma renda real de aproximadamente 1% AO ANO! E nessas condições, a instituição gestora do fundo de investimento ganharia 3 Reais para cada Real ganho pelo investidor. No 15º ano, por exemplo, o investidor ganharia, em juros, R$ 10.345,27, mas pagaria R$ 3.448,42 para o banco, em taxa de administração, perderia R$ 5.747,37 para a inflação e ganharia, apenas, R$ 1.149,47. Péssimo, não é?

E as coisas poderiam ser ainda piores, se a taxa de administração fosse maior. Com uma taxa de 5%, por exemplo, o investidor perderia dinheiro nas condições descritas. É o que se observa na seguinte tabela:

wpid-wpid-Imagem4-2010-06-7-09-00-2010-06-7-09-00.png

O resultado é catastrófico: – 14% de rentabilidade no período. É, rentabilidade negativa!

“Mas Fábio, isso existe? Fundos com taxa de administração tão alta que praticamente tornam irracional o investimento?”

Existe sim… e o pior é que há quem invista nesses fundos, sem ter a menor noção do que estão fazendo com o seu dinheiro. No ranking divulgado pelo Tesouro Nacional, por exemplo, há agentes de custódia que não cobram nada de taxa de administração para os investimentos em Tesouro Direto, e agentes que cobram até 4% de taxa de administração. . O mesmo acontece para os demais fundos de renda fixa e de ações: portanto, fique de olho na taxa de administração!

Fique atualizado!

Cadastre seu e-mail para receber gratuitamente os novos posts do blog!

Fábio Portela é investidor desde 2006 e disponibiliza neste site seus conhecimentos adquiridos ao longo do tempo, seja com sua experiência, seja por meio das leituras que fez ao longo dos anos. O autor é mestre em Direito Constitucional e em Filosofia pela UnB, e atualmente cursa doutorado em Direito Constitucional na mesma instituição.

  • Giuseppe

    Nossa, quanta burrice.

    Taxa de administração é cobrada diariamente sobre a cota.

    O valor informado pelo banco é anual. Uma aplicação que rende 12% ao ano e tem 2% de adm. terá um rendimento de 10%.

    Se ocorrer inflação alta e IR isso é problema do Governo e não da administração do fundo ou do Banco. Melhor pagar 2% e ter 10% do que pagar 0,5% e ter 9%, certo esperto?

  • Rafael

    Excelente artigo! Apesar de ter sido esfrito há mais de 1 ano reflete bem a falta de educação financeira do brasileiro e a agiotagem do nosso sistema financeiro. Parabéns !

  • Pingback: O pequeno investidor » As taxas de administração cobradas no tesouro direto