Cuidado com a revisão do carro em oficinas “autorizadas”

37 Flares Twitter 0 Facebook 33 Google+ 2 LinkedIn 2 Email -- Filament.io 37 Flares ×

Investidor consciente ou não, todo mundo que tem um automóvel deve, periodicamente, levar seu carro a oficinas a fim de efetuar as revisões. Mesmo que o veículo seja bem cuidado, tenha uma quilometragem baixa e não tenha passado por qualquer situação de desgaste especial, é necessário trocar peças que, naturalmente, sofrem desgaste no dia-a-dia. E então, surge uma dúvida: é melhor levar o carro a oficinas autorizadas ou a oficinas independentes?

1. Uma experiência ruim com oficinas autorizadas

Essa semana passei por uma situação que mostra como não podemos confiar mesmo em oficinas “autorizadas” (depois do que passei, não utilizarei o nome sem as aspas). Em tese, estas oficinas seriam mais confiáveis, já que são recomendadas pelos próprios fabricantes do veículo e, muitas vezes, são associadas à própria concessionária que vende os carros daquela montadora específica. Partindo desse pressuposto, sempre levei meus carros a oficinas autorizadas e achava que estava tudo certo com o veículo.

Até então, eu havia tido apenas um contratempo no final de 2009. Pouco depois de uma revisão que fiz no meu automóvel, na qual eu havia pedido para os mecânicos revisarem todos os itens do carro – em especial, itens relacionados à segurança. Paguei uma pequena fortuna pela revisão, mas achava que, pelo menos, o serviço estava bem feito, julgando que seria melhor pagar um pouco mais por um serviço mais confiável. Em menos de duas semanas, passei por um problema que colocou a minha segurança em risco: a direção hidráulica do veículo teve um problema e o sistema hidráulico da direção falhou, tornando muito mais duro o volante e mais difícil de controlar o carro. Como eu estava dirigindo tarde da noite, e em uma região um tanto perigosa de Brasília, decidi levar o carro “no braço” para casa. Fui mais lento, mas acabei chegando e, no dia seguinte, fui ver o que havia dado errado.

No dia seguinte, liguei na oficina autorizada onde havia efetuado a revisão há menos de duas semanas, a fim de cobrar explicações. O atendente informou apenas que, como na revisão prevista para aquela quilometragem não estava previsto o exame do sistema da direção hidráulica, os mecânicos não o examinaram. Nem adiantou argumentar que eu havia pedido para que fosse examinado todo o veículo e todas as peças que, direta ou indiretamente, poderiam afetar a segurança de quem estivesse no veículo. Com raiva, resolvi levar o carro a uma oficina independente, que realizou o conserto.

Pois bem: agora, em fevereiro de 2011, chegou a época para realizar nova revisão no veículo. Ainda irritado com o que aconteceu na revisão anterior, e aconselhado por um tio meu, que entende muito de automóvel, decidir levar o carro para revisão em uma oficina independente recomendada por ele. Lá, descobri que muitas das peças que deveriam ter sido obrigatoriamente substituídas nas revisões anteriores – todas realizadas em oficinas “autorizadas” – não foram jamais trocadas. Com mais de 80.000 quilômetros rodados, o carro estava rodando com peças originais que deveriam ter sido trocadas nas revisões de 30.000, 45.000, 60.000 ou 70.000 km. E, pior, muitas das peças eram essenciais para a segurança do veículo, como, por exemplo, o próprio disco do freio, que já estava excessivamente desgastado.

2. Oficinas que prestam um serviço ruim podem prejudicar a sua segurança!

Ou seja, minha esposa ou eu poderíamos ter sofrido um grave acidente porque estávamos contando com uma segurança garantida por peças que acreditávamos ser novas, mas que jamais haviam sido trocadas. Paguei mais caro por levar o carro a uma oficina autorizada, que não fez muitos dos serviços contratados – lançavam na nota que o serviço havia sido efetuado, mas não faziam nada. Provavelmente, as oficinas só trocavam as peças que estavam em pior condição, e deixavam as que ainda “davam” pro gasto. Como sou leigo, não sabia avaliar o que havia sido trocado ou não.

3. Conclusões a respeito de oficinas autorizadas

Aprendi algumas coisas com o episódio:

  1. Não confiar em oficinas autorizadas. Elas apenas cobram mais caro pelo mesmo serviço que poderia ter sido feito por outra oficina, e muitas vezes nem fazem o serviço que lançam na nota de serviço (o difícil é provar isso na Justiça, milhares de quilômetros depois de o serviço ter sido feito).
  2. Leve alguém com conhecimento mecânico para avaliar o serviço. Não tem jeito, mecânicos tentarão se aproveitar de sua ignorância. Levar alguém mais experiente já o intimida e evita que ele tente se aproveitar indevidamente.
  3. Estabeleça uma relação de confiança com um mecânico independente. Depois de encontrar alguém que pareça confiável, deixe claro que você pretende retornar a ele, se o serviço for bem feito. Indique conhecidos que procurem uma oficina independente, e deixe claro que não admitirá deslizes na relação.
  4. Se possível, aprenda um pouco de mecânica. Esse conselho eu ainda não segui, mas já vi que é necessário para evitar ser passado pra trás. Como tudo na vida, é preciso aprender para que não se aproveitem de sua ignorância.

Uma coisa, é certa: se alguém pedir minha opinião a respeito de onde levar seu automóvel para a revisão, jamais indicarei oficinas ligada a uma concessionária muito famosa de Brasília.

Fábio Portela é investidor desde 2006 e disponibiliza neste site seus conhecimentos adquiridos ao longo do tempo, seja com sua experiência, seja por meio das leituras que fez ao longo dos anos. O autor é mestre em Direito Constitucional e em Filosofia pela UnB, e atualmente cursa doutorado em Direito Constitucional na mesma instituição.

  • http://www.polaticus.com.br Jeferson da Luz

    Pois é

    Pior eu que levei o meu carro em uma oficina autorizada, para verificar um problema de alinhamento. Beleza, falaram que não tinha nada.
    Quando cheguei na casa dos meus pais, olhei na roda…faltando um parafuso. Imagine que maravilha, você no meio da estrada, e simplesmente o seu pneu te ultrapassa !!…hehe

    Abraço

  • http://jovempreendedor.wordpress.com/ André Savi

    Bom dia!

    Eu acho que o carro deve ser levado para uma oficina autorizada somente quando ele está na garantia, para evitar perder a mesma, passando a garantia, leve para um mecânico independente, pensando financeiramente, toda peça que deverá ser trocada, procura você mesmo para comprar, você irá economizar uma boa grana e sempre veja as pessoas velhas (para ver se realmente foram trocadas).

    E como você falou, sempre mecânicos de confiança, de preferencia indicado por alguém de sua confiança.

    Em São José dos Campos/SP eu já achei o meu. Forte abraço.

    • dimi

      @André Savi, qual seu mecânico de confiança em SJC?

  • http://www.arake.com.br Henrique Arake

    Troque “mecânicos” por “advogados” ou “médicos” e o mesmo problema de assimetria de informação surge, bicho.

    Se precisar de um bom advogado, eu conheço pelo menos um!

  • Samuel Souza

    Fábio,
    Nunca fui a “autorizadas”, sempre que precisei realizar as revisões, as fiz na própria concessionária, pelos seguintes motivos:
    - a garantia do veículo só é mantida se as revisões periódicas são feitas e carimbadas pela concessionária (mesmo que eles não troquem peça alguma, se der qualquer problema a garantia existe);
    - algumas montadoras mantém em seu sistema todo o histórico do veículo nas concessionárias do país todo;
    - um carro com todas as revisões carimbadas é mais fácil de revender;
    - mesmo após expirada a garantia do veículo, se tiver um problema sério no motor e você fez todas as revisões certinho de acordo com o plano de manutenção do veículo, descrito no manual, a maioria das montadoras ainda dá uma cobertura adicional ao motor, chegando a fornecer outro motor no lugar (já vi isso acontecer com meu sogro e com o teste de longa duração da Quatro Rodas).

    Entretanto, existem situações que NÃO recomendo os serviços das concessionárias nem a pau:
    - Qualquer outro serviço que não seja a revisão regular prevista no manual – os serviços são caros, demoram muito e também fiquei com a pulga atrás da orelha se realmente fizeram tudo o que tinha para fazer. Aí prefiro ir no mecânico de confiança.

    Já que estamos falando de carros (não de imóveis para variar), queria deixar um esclarecimento quanto a acessórios instalados nas concessionárias: Não valem a pena ! Uma vez, comprei uma versão básica de um carro e instalei vários acessórios “originais” na própria concessionária. Meses depois, acabei ouvindo de um gerente que muitas vezes eles não instalam o acessório original, e sim um paralelo. Consequência – você paga caro achando que é o original, a concessionária manda instalar um parecido e mais barato (muitas vezes em oficinas de rua), e se der qualquer problema e for precisar de assistência em outra concessionária, eles podem se recusar a atender porque não é o original e tem que ficar fazendo rolo com a concessionária que mandou instalar aquela porcaria – isso aconteceu comigo e também vi acontecer com a Quatro Rodas.

    Ou seja, hoje prefiro pagar um pouco mais caro pela versão que já vem de fábrica com o que quero, para não ter aporrinhações futuras… Sem falar que na hora da revenda, o mercado sempre nivela as versões por baixo – não se consegue pedir mais pelo veículo por ter enchido ele de acessórios. Isso facilita para revender, mas não se consegue quase nada a mai$$ por isso. É outro motivo para optar pela versão que já vem de fábrica com tudo o que quero pois não perco tanto na revenda.

    Falou !

    Samuel.

    • Fábio Portela

      Samuel,

      A revisão a que submeti meu carro foi em uma oficina de concessionária…

      • Itamar Sandoval

        Este assunto sempre causa muita discussão. Já vivi muitos anos neste meio, concessionarias, autorizadas e alternativas.
        Sugestões:
        1 – Revisão em autorizada somente as obrigatórias, com observações e pedidos por escrito, anexado na ordem de serviço. Se entregarem com o mesmo problema, volte com o carro para oficina novamente.
        Geralmente fazem tudo para não trocarem peças na revisão gratuita, empurram para a revisão com peças pagas.
        2- Em qualquer oficina solicite as peças substituídas, guarde-as por um período, notas de serviço bem descritivas também, até ver se não aparece problema.
        3- Nunca pegue o carro na oficina e vá para a estrada, sua roda pode voar fora,(conheço caso, com morte)ande, teste, acelere, em dois ou três dias o erro aparece.
        4 -Nunca leve carro para oficina na sexta-feira ou sábado, vc pode ficar sem ele no fim de semana, além da costumeira pressa para entregar.
        5- Estabeleça uma relação de confiança com uma boa oficina, bem estabelecida, fique por lá, espere se possível o reparo, veja seu carro sendo arrumado, pergunte, especule.
        6 – E por fim, para quem tem carro em garantia, em toda região tem um representante da fábrica, para casos omissos das autorizadas, trata da relação entre o usuário e a marca/fabrica.

  • Deuteron

    Grande Fábio!

    Cara, acabei de trocar as pastilhas de freio dianteiras e os discos respectivos em uma oficina independente (apesar de meu carro estar na garantia ainda), mas creio ter sido lesado na troca desnecessária do disco porque, em tendo meu carro rodado 50k, fiquei sabendo que bastaria fazer uma retífica no disco (passar num torno para aplainá-lo novamente). E olha que foi a oficina era recomendação de outra pessoa…

    Estava pensando em fazer uma pegadinha em várias oficinas independentes ao simular um defeito (não precisa nem tirar ou afrouxar peça do carro, é só dizer que está ouvindo um chiado etc) e ver o que vão dizer. Quem não me roubar (ou roubar menos), vira minha oficina de preferência.

    Concessionária não dá, já sei que serei roubado de qualquer forma. Ano retrasado bati o carro, tendo amassado apenas o capô e, de forma incrível e na maior caradura do mundo, os caras me trocaram a bateria! E ainda por cima trocaram a original por uma chinesa que dias depois arriou e não levantou mais, tendo me deixado parado literalmente no meio da rua. Botei uma bateria tradicional made in Brazil (que foi metade do preço da chinesa) e nunca mais tive problema.

    Abs e BOA SORTE (precisamos)!

    • Fábio Portela

      É verdade, Deuteron… a gente pode ser lesado por qualquer um deles mesmo. Mesmo quem conhece muito de carro pode ser explorado por elas. A vantagem das oficinas independentes é que, pelo menos, não cobram tão caro pelo serviço.

      • Anderson

        Para sua segurança sempre troque as pastilhas e disco. Quando as pastilhas chegam ao fim já danificaram o disco. Se está reclamando de uma troca do disco seu carro deve ser popular e não deve ser mais caro que $70. Sua segurança vale mais que isso.

        • Fábio Portela

          Anderson,

          O problema é que eu acreditava que as pastilhas e o disco já haviam sido trocados nas 4 revisões que fiz na oficina autorizada! O problema não foi trocar as peças, mas achar que elas já tinham sido trocadas, quando na verdade não haviam!

    • Carlos Soares

      Caro amigo,
      acho que vc não foi enganado. Se o seu disco de freio estava desgastado é natural a troca, passar o disco no torno é uma gambiarra que as pessoas usam para gastar menos. Trocar disco de freio com desgaste é natural e não é tão caro assim que justifique levar essa peça a um torneiro. O meu carro é um Pálio Adventure Locker 2009 e a troca dos discos de freio custou R$ 136,00 o par.

  • Eduardo

    Serviços em concessionárias somente se o veículo estiver na garantia. Ainda assim, somente os itens que constem no manual devem ser trocados.

    Já ouvi falar que nem óleo eles trocam às vezes. Você paga e não fazem o serviço.

    Nada de balanceamento, alinhamento, limpeza do ar condicionado, palhetas. Todos esses serviços são em média 3 vezes mais caros e não influem na garantia.

  • Eu

    Fábio,

    também moro aqui em Bsb. Pode passar o contato (nome) dessa oficina independente? Pode dizer também em qual concessionária você foi (pra não correr o risco deu ir…)? Vivo levando meu carro em concessionária, mas não confio muito bem. Na última revisão o carro estava perfeito antes de ir, mas voltou com problema.

    Se achar que expor o nome da concessiona’ria aqui irá causar problemas, pode mandar por e-mail?

    Grato,
    Eu

    • Fábio Portela

      Maxwell,

      Infelizmente, não posso passar o nome das duas oficinas. O da concessionária eu não divulgo porque poderia causar problemas para mim. E o da oficina independente, eu não divulgo porque não posso garantir o trabalho. Não posso dizer se o mecânico trabalhou bem porque faz isso sempre ou porque fui acompanhado pelo meu tio, que conhece do assunto. Espero que você compreenda! O que recomendo é que você vá a uma oficina independente acompanhado de alguém que entenda do assunto.

  • http://wallysou.com wally

    eae, Fábio, blz?

    mais um post de utilidade pública, hein!

    gde abço,

    wally.

  • Andre Luiz

    Seria ótimo se a gente pudesse entender de tudo, não é? Infelizmente me parece que a grande “virtude” do comerciante e do prestador de serviços é sobreviver enganando os ignorantes.

    Por exemplo, acho que nenhum leito desse blog cai no conto do Título de Capitalização, como “excelente investimento”, que todo gerente de banco tenta empurrar. No entanto, milhões de pessoas no Brasil afora caem.

    O que você falou da mecânica, também se aplica a tratamentos dentários desnecessários, exames médicos e remédios que só enriquecem os laboratórios, a famosa troca do motor da geladeira etc.

    Acho que a questão é muito mais macro, de uma reeducação da sociedade. Essa política do “jeitinho brasileiro” e da “farinha pouca, meu pirão primeiro” é que deve mudar.

    Mas o conhecimento dos serviços, por parte dos consumidores já é um bom começo.

    Parabéns, mais uma vez, pelas dicas e um forte abraço.

    • Fábio Portela

      Pois é, André: infelizmente, esse tipo de prática está disseminada em todos os lugares – advogados, médicos, dentistas, mecânicos… todo mundo querendo se aproveitar da ignorância da população. E, infelizmente, todos somos ignorantes em alguma coisa e, por isso, estaremos sujeitos a esse tipo de tratamento.

  • Thiago

    Certa vez precisei trocar a bobina do carro, custava por volta de R$200,00 nas lojas, uma marca boa, que as fábricas utilizam.
    Então liguei na concessionária para saber quanto custava, dei risada na hora que me disseram o preço, R$ 1.200,00 , 1k a mais na mesma peça, talvez até da mesma marca.
    Não confio nas oficinas das concessionárias, uma vez no carro de um amigo na nota fiscal da revisão constava a troca de um item que no carro dele não existe, uma peça do ar-condicionado, e o carro dele não tinha ar-condicionado.

  • Fabio Lourencetti

    Esse esquema de TER que fazer revisão na concessionária quando o veículo está em garantia para não perdê-la, é legal? Não caracteriza venda casada?

    Abs,

  • http://investindo-todo-mes.blogspot.com/ http://investindo-todo-mes.blogspot.com/

    Boa noite Fábio,
    Olha eu sempre revisei meu carro na autorizada da toyota e nunca tive problemas e ao contrário sempre fui muito bem atendido e o carro nunca me deu problemas e olha que ela ja está com 60.000km rodados. Enfim acho que cada caso é um caso e o seu conselho para tomar cuidado nas revisões em autorizadas é válido mas sem generalizar pois existem muitos picaretas também em oficinas independentes.

    abços
    Eduardo

  • Alexandre K.

    Já trabalhei em concessionária e em montadoras, e sei a manha. Uma saída, mas não a solução, é Vc., no ato de entregar o veículo, mencionar a posterior exigencia das peças velhas e as embalagens vazias das novas, nem que seja só a etiqueta. Ao retirar, confronte com a Nota Fiscal. Têm que bater as três.
    Atenção: Peças usadas em garantia: eles costumam trocar em outros veículos. E apresentam ao fabricante a mais gasta. Principalmente a instrumentação.

  • Kantynho

    Com Honda (autorizada), nunca tive problema. Inclusive, quando vendi o meu, foi descoberto um problema no rolamento traseiro que foi trocado antes de passar o carro para o outro dono. Fiquei, na época, impressionado com a atenção a esse tipo de coisa. Saiu do meu bolso e não foi barato, mas fico feliz por saber que não coloquei a vida de ninguém em risco, sou muito sério quando o assunto é segurança, seja a minha ou a de outras pessoas.
    Já com o carro atual (Ford Focus) e visitas a 3 “autorizadas” em Brasília, sigo a recomendação do Fábio… Fuja !!
    Só decepção!

    • Andre Luiz

      Já me falaram isso, que Honda e Toyota são honestas quando se trata de revisão e conserto. Por outro lado, dizem que a manutenção dessas marcas é mais cara. Eu realmente não tenho experiência no assunto, até porquê vale mais a pena para mim transporte coletivo e táxi do que carro, mas eu sou entusiasta de pagar mais caro por um bom serviço, do que barato para arriscar a vida.

  • Humberto

    Fábio, você não pode dizer qual é a concessionária? E qual a marca do carro, pode dizer? Cara, tem que divulgar essas coisas (lógico, se não for sair prejudicado), pois quando esse tipo de coisa vai pra internet eles se mexem, pois o dano na imagem é muito maior do que o que eles ganham.
    Um abraço e obrigado por compartilhar da sua experiência.

    Humberto

  • Diego Leite

    Nunca comprei carro zero, nem tão pouco fiz revisões em concessionárias, aqueles caras são ladrões, entendem de carro e sempre deixa algum problema no carro pra gente voltar lá e pagar mais por outros serviços. Compro sempre carros usados e conservados, estudo o manual do proprietário e faço uma planilha com todas as peças e serviços que devem ser feitos no decorrer dos anos. Atualmente no meu carro nunca tive problemas com ele, o ano dele é 2002 e ainda está com 75 k…
    Realmente é um grande absurdo depender das concessionárias!

  • Thiago

    Utilize Apena Oficinas autorizadas. Todos os reparos possuem garantia de um ano e em nível nacional. Utilizam-se apenas peças originais. Os profissionais são treinados e possuem ferramentas especificas para cada tipo de reparo e peças a serem utilizadas.
    A maioria das montadores investem milhões no setor de pós-venda, acho muito superficial compará-las às boquetas de esquina…
    Mecânico de Confiança = Amigo da sua mulher!

    • Samuel Souza

      Thiago,

      Sim, esse é o conceito e premissa pelos quais eu usava os serviços das autorizadas/concessionárias. Tive experiências boas, mas também tive muitas experiências ruins com as autorizadas. Hoje em dia, quando retiro o veículo da revisão faço questão de checar item a item do manual com o que foi feito. Como último exemplo, na revisão dos 90 mil as velas deveriam ter sido trocadas, coisa besta. Sequer constaram na nota de serviço. Tive que voltar com o carro alguns dias depois só para trocarem as velas (eu precisava do carro naquele dia), e ainda por pouco não me cobraram quando fui pegar o carro no fim do dia. Ainda bem que o gerente era o mesmo e me liberou pois isso era serviço que deveria ter sido feito na revisão que eu já tinha pago.
      Ou seja, seria ótimo se as concessionárias funcionassem como deveriam, eu iria de bom grado mesmo pagando mais caro. Infelizmente essa não é a realidade aqui no DF, e tenho o mesmo comportamento tanto nas autorizadas quanto nas outras oficinas – verifico tudo o que foi feito, e se possível vejo quais as peças substituídas, etc, etc, etc.
      Abraços,
      Samuel.

  • Gui

    Existem oficinas e oficinas… reclamar das “autorizadas” assim, em abstrato, jogando todas no mesmo saco, não me parece válido, senão como desabafo… Utilidade maior, realmente, seria dar nome aos bois. Não vejo como um consumidor possa ser acionado por relatar objetivamente um caso de mau atendimento.

    Mudando de assunto, olha a Caixa recebendo aquela forcinha pra continuar financiando o sonho da casa própria em parcelas que cabem no seu bolso… fala sério… http://economia.estadao.com.br/noticias/economia+geral,caixa-e-bndes-terao-r-130-bi-a-mais-para-emprestimo,55548,0.htm

  • Samuel Souza

    Colegas,

    Desse assunto, um cara em São Paulo teve uma idéia bem interessante. Não lembro como ele se denomina, mas é como se fosse um “cuidador de carros”. O homem é engenheiro aposentado de uma montadora, conhece bastante sobre manutenção e as oficinas de lá. O que ele faz é o seguinte: o que seu carro precisar, ele cuida para você. Ele busca seu carro em casa ou no trabalho, leva para fazer as revisões ou os consertos necessários, checa se tem mais algo para fazer, negocia preço de peças e serviços, checa se foi tudo feito (engabelar aquele cara é difícil!), e te devolve o veículo em casa ou no trabalho ! Além disso, ele periodicamente entra em contato com os donos para lembra-los de outras manutenções, auxilia na hora de trocar de carro, etc.
    Claro que ele cobra alguma coisa pelos serviços, mas na entrevista os clientes disseram estar muito satisfeitos – estão gastando menos com manutenção do que antes, os carros parecem estar bem melhores, e se livraram da tarefa chata de levar o carro na oficina e ouvir a desculpa da rebimboca da parafuseta. É uma idéia muito bacana, o difícil é conquistar e transmitir confiança, mas se tivesse alguém aqui no DF que fizesse isso poderia ter uma boa clientela.

  • Yassu

    Sempre que vou comprar/contratar algum produto ou serviço consulto aqui http://www.reclameaqui.com.br. Colocar a queixa na imprensa, como no jornal estadão, se mostra muito eficiente.

  • Marcelo

    Fábio, você poderia pegar um laudo, com fotos, da oficina independente atestando que as peças não foram trocadas, e que ainda eram as originais, e meter um processo na concessionária. Não pode abaixar a cabeça p/ esse tipo de coisa.

  • Pingback: Quanto custa o carro dos seus sonhos? | O pequeno investidor

  • Alexandre

    Caro Fabio,

    vou fazer a revisão de 40000 km do Focus nessa semana, aqui em Brasília. Poderia me mandar por e-mail qual a concessionária que você teve problema?

    Abs

  • roy

    LEVAR CARROS NAS AUTORIZADAS E PARA SADO MASOQUISTA QUE GOSTA DE SER ENGANADO E PAGAR CARO , PRA QUEM GOSTA DE PISADA DE SALTO ALTO NA CARA , CHICOTADA E SEI LA MAIS O QUE , ATE AI E COMPREENSIVEL PQ O CARA GOSTA DE SOFRER E SER HUMILHADO , CADA UM COM AS SUAS PREFERENCIAS , MAS PRA QUEM NÃO É DESSE CLUBE NADA HAVER CONCESSIONARIAS COM SEUS ATENDENTES E MECANICOS PARECENDO UM MEDICO DE HOSPITAL DE LUXO IGUAL AOS VENDEDORES DE COLCHÕES DA ORTOBOM QUE TÃO MAIS PRA MEDICOS DE SERIADO DO QUE PARA VENDEDORES !

  • Camila

    O GOL do meu marido estava na garantia e foi pra concessionária trocar o óleo e o filtro de ar. Ele pediu um desconto e conseguiu. Na próxima revisão, fora da concessionária, ele descobriu que a troca do filtro de ar não havia sido realizada.
    Comprei um Siena tetrafuel zero. Quase no final da garantia de 1 ano vi que a tampa do óleo da direção hidraulica (acho que era isso) estava meio melada. Fui na concessionária e o mecânico disse que era normal. Ele se ofereceu pra limpar e borrifou um produto impressionante que limpou todo aquele óleo pregado com a maior facilidade do mundo. Saí satisfeita. Um mês depois a direção hidráulica começou a fazer barulho e o freio piorava. Fui em uma oficina normal. O mecânico disse que o óleo estava muito líquido, sem viscosidade e que o reservatório estava vazando e tinha que ser trocado. Isso me leva a crer que realmente já havia um problema com o reservatório quando eu levei o carro à concessionária. E que borrifar o limpador de óleo só piorou a situação porque ‘estragou’ o fluido todo.
    Em outra situação em que o siena tetrafuel apresentou problemas levamos em uma oficina e ele saiu excelente, fora o fato de ele não conseguir mais andar no gás, só na gasolina. Na reprogramação da injeção eles colocaram o ‘arquivo’ de siena normal e não tetrafuel. Eles não tinham o ‘arquivo’ pra gás. Falaram pra eu ir na concessionária que seria fácil e rápido.
    Fui na concessionária e fui atendida pelo mesmo mecânico do episódio anterior. Falei que o gás não entrava e pra ele fazer uma reprogramação da injeção. Ele deu uma olhada e depois de meia hora disse que o carro precisava ficar lá. No outro dia ele disse que estava difícil encontrar o problema e que precisaria de mais tempo. Uns 4 dias depois ele liga me falando que vai ter que fazer uma reprogramação da injeção (só pode ser um gênio)!!!! Mas, para isso ele ia precisar da ajuda de um técnico de SP que estava dando treinamento em BSB. O infeliz ainda demorou mais 2 dias pra liberar o carro e me cobrou R$ 750,00!!!
    No final os 2 foram ruins, mas eu voltaria facilmente na oficina contanto que não reprogramem a injeção.

  • Arnaud

    O tema é naturalmente controverso. Entretanto, a controvérsia não resiste a uma análise. Essa idéia de que levar um veículo a uma oficina “independente” é melhor que levá-lo a uma autorizada equivale a ir a uma benzedeira ao invés de ir ao médico. Isso poderia ser verdade na época do carburador e platinado e, principalmente quando os modelos de carro pouco se alteravam. Atualmente, com a tecnologia embarcada nos veículos novos e com a entrada em cena de novos modelos a cada ano, é uma temeridade levá-los mecânicos alternativos que não tem tempo nem recursos para acompanhar o avanço tecnológico. Ora, se é verdade que as autorizadas cometem erros, apesar da atualização do pessoal, que dizer dos mecânicos alternativos?
    E o que dizer da garantia? Quando uma autorizada comete um erro será sempre possível responsabilizá-la, seja exigindo uma nova revisão seja, até, acionnado-a na justiça. Quanto à oficina “independente” dificilmente alguém logrará êxito em responsabilizá-la.
    Esta, evidentemente, é uma questão pessoal, baseada em experiência própria de quem já possuiu 6 veículos novos, de diferentes marcas, realizou todas as revisões em autorizadas e nunca se arrependeu. O acerto do procedimento mostrou-se evidente por ocasião da venda dos veículos, cujo histórico foi um facilitador nas vendas.

  • marcos carvalho

    Acabei de voltar de uma agencia da ford. Eles me cobraram quase 500 reais por um serviço q meu pai fez com uma pessoa de total confiança por menos de 200. é um assalto, não?!! Eles querem arrancar o nosso dinheiro. falei com agencia sobre um barulho no freio. me disseram q é super-normal!!! e que o carro precisa ser mais rodado para o barulho desaparecer. convenhamos, ng compra um carro pra ficar com barulho e ter q rodar 20, 30 mil km pra ele sumir!!