Como interpretar a relação entre o preço de uma ação e o seu valor patrimonial

26 Flares Twitter 5 Facebook 20 Google+ 1 LinkedIn 0 Email -- Filament.io 26 Flares ×

açãoO indicador fundamentalista mais utilizado para avaliar se uma ação está supervalorizada ou barata é, sem sombra de dúvidas, a relação Preço/Lucro, que estabelece a relação entre o preço de uma ação e o lucro proporcional da empresa. Mas outro indicador que é bastante utilizado na análise fundamentalista é a relação entre o preço da ação e o valor patrimonial proporcional a ela: o Preço/Valor Patrimonial da Ação (ou P/VPA). Vejamos como utilizar esse indicador para avaliar se o preço de uma ação é justo.

Entendendo a relação entre a cotação e o valor patrimonial de uma ação

O P/VPA compara o preço de uma ação em relação a todo o seu patrimônio líquido. Ou seja, é uma indicação a respeito de quanto os acionistas estão dispostos a pagar, atualmente, pelo patrimônio líquido da companhia.

Calcular a relação P/VPA é relativamente simples: basta dividir o preço da empresa pelo valor patrimonial de cada ação. São necessárias, portanto, duas continhas básicas: em primeiro lugar, deve-se encontrar o valor patrimonial da ação. Para encontra-lo, basta dividir o patrimônio líquido da empresa (que você encontra nos seus balanços) pelo número total de ações. A fórmula, portanto, é a seguinte:

VPA = Patrimônio líquido / Número total de ações

Por exemplo, o patrimônio líquido do Banco do Brasil (BBAS3), hoje, é de R$ 56.279.100.000, e o número total de ações da empresa é de 2.865.420.000.  Dividindo-se um pelo outro, temos um VPA = 19,64. Ou seja, cada ação do Banco do Brasil tem uma parte do patrimônio líquido do banco equivalente a R$ 19,64.

Para calcular o P/VPA, basta dividir o preço da ação pelo VPA:

P/VPA = Preço/Valor Patrimonial por Ação

Voltemos ao caso do Banco do Brasil. A cotação de cada ação da empresa (BBAS3) está em R$ 24,70 no momento em que escrevo. Ou seja, cada ação custa R$ 24,70, sendo que R$ 19,64 correspondem exclusivamente ao seu patrimônio líquido. Dividindo-se um valor pelo outro, temos a seguinte relação:  P/VPA = 24,70/19,64 = 1,26 (aproximadamente). Ou seja, a ação do Banco do Brasil está sendo negociada a um valor aproximadamente 25% superior ao seu valor patrimonial. Levando-se em consideração que só o Lucro Por Ação da empresa, nos últimos 12 meses, está na casa dos R$ 4,59, isso significa dizer que o Banco do Brasil está sendo negociado a um preço equivalente à soma de seu patrimônio líquido com o seu lucro por ação em um ano. Sem contar os lucros futuros. Aparentemente, um bom negócio, não é? Se os lucros crescerem (e nos últimos anos têm crescido a uma taxa bastante razoável), o investidor não terá pago praticamente nada pelos lucros futuros…

A relação entre o preço e o valor patrimonial da ação permite que esse tipo de análise seja efetuada, e mostre um pouco do real valor do ativo que estamos levando ao comprar uma ação. O preço de uma ação não vale nada por si só: somente quando o comparamos com esses indicadores é que podemos ter uma noção a respeito de seu valor e de se o preço cobrado é justo ou não. Acredito que o caso do Banco do Brasil mostre isso relativamente bem.

Como utilizar o indicador P/VPA para avaliar o preço de uma ação

A relação P/VPA traz três possibilidades: ou é inferior a 1, ou superior a 1, ou igual a 1. Óbvio… mas o que isso significa e como esse valor pode afetar a avaliação a respeito do preço da ação?

Um índice P/VPA igual a 1 significa que a ação está sendo negociada pelo equivalente a seu patrimônio líquido. Se esse índice for superior a 1, indica que os acionistas estão, atualmente, topando pagar mais pela ação do que todo o patrimônio líquido da empresa. Às vezes isso faz sentido, pois a empresa pode não precisar tanto assim do seu patrimônio para gerar valor para o acionista, ou porque as expectativas de crescimento do lucro são tão altas que o patrimônio líquido possivelmente crescerá a uma taxa relativamente elevada nos próximos anos.

Um índice P/VPA inferior a 1, por sua vez, indica que o acionista está comprando ações da empresa por um preço inferior ao do seu patrimônio líquido. Um dos critérios propostos por Benjamin Graham para encontrar empresas baratas era justamente procurar por ações que estivessem negociadas abaixo de ⅔ do seu valor patrimonial. Ou seja, a uma relação P/VPA inferior a 0,66. Mas é importante tomar cuidado para não utilizar unicamente a relação P/VPA: uma empresa normalmente é negociada a preços muito inferiores ao seu patrimônio líquido apenas quando o mercado acredita que ela está passando por problemas em suas atividades operacionais. Obviamente, o mercado está errado: mas para saber isso é preciso fazer outros estudos sobre a empresa.

É importante notar, ainda, que empresas de setores diferentes podem apresentar uma relação P/VPA bastante diferente. Afinal, existem empresas que necessitam de muitos prédios, máquinas de produção, computadores, mesas, etc. para funcionar. Em outros casos, quase nada disso é necessário, porque a empresa não precisa dispor de muito patrimônio para realizar suas atividades.
Compare, por exemplo, Ambev e Cielo. A Ambev precisa de ter muito patrimônio para operar. Ela tem muitas fábricas, e precisa tê-las para produzir cervejas e refrigerantes. A Cielo, por sua vez, não necessita de tanto patrimônio: ela compra suas máquinas de outras empresas e necessita ter, basicamente,  a estrutura para efetuar o processamento das negociações. E isso se reflete na relação P/VPA de uma e de outra empresas: no caso da Ambev, essa é uma relação de 7,98; e, no caso da Cielo, de 21,92. O elevado P/VPA no caso da Cielo se justifica porque seu patrimônio líquido é tão baixo que não faz sentido avaliar a empresa a partir dele. No caso da Ambev, o patrimônio líquido já é mais importante, porque é a partir dele que a empresa faz seu negócio girar. Tanto é assim que a Redecard, concorrente da Cielo, também apresenta uma relação P/VPA elevada, na casa de 17. Já no caso do Banco do Brasil, seu P/VPA é baixíssimo (quando comparado a essas empresas), na casa de 1,25. Itaú e Bradesco, respectivamente, apresentam P/VPA de 2,14 e 2,22.

Enfim, o que é importante extrair disso tudo é que o P/VPA, embora seja um indicador importante, não pode ser utilizado isoladamente. Ele deve ser utilizado com cuidado, e especialmente para avaliar setores que utilizem muito capital em suas atividades operacionais (como é o caso dos bancos, por exemplo). Mas, de qualquer maneira, também pode ser utilizado para encontrar boas pechinchas no mercado – desde que, repito, não seja utilizado isoladamente. Às vezes, um baixo P/VPA pode estar indicando apenas que a empresa está mal das pernas.

OBS: as empresas listadas foram mencionadas apenas ilustrativamente, não significando recomendação de compra. Das citadas, sou proprietário de ações da Ambev, da Cielo e do Banco do Brasil.

Fique atualizado!
Receba as novidades do blog e ganhe um e-book com nossos principais artigos!

Fábio Portela é investidor desde 2006 e disponibiliza neste site seus conhecimentos adquiridos ao longo do tempo, seja com sua experiência, seja por meio das leituras que fez ao longo dos anos. O autor é mestre em Direito Constitucional e em Filosofia pela UnB, e atualmente cursa doutorado em Direito Constitucional na mesma instituição.

  • Andre Luiz <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Andre Luiz</a></span></span>

    Fabio,

    Atrelar a leitura do texto à divulgação do mesmo em redes sociais, prejudica quem o acessa do trabalho, onde esses portais são bloqueados.

    Acredito que você vai perder muitos leitores assim.

    Abraços,

    Andre Luiz.

  • Nélio <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Nélio</a></span></span>

    Nossa, Fábio, NÃO ACREDITO que pra ler o resto do post eu tenho que divulgar pra alguém. É sério isso?

  • Jader <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Jader</a></span></span>

    Caro Fábio,

    Achei louvável a remodelação do pequeno investidor e sempre apreciei teus artigos.

    Mas tudo que é bom dura pouco, achei lamentável essa iniciativa de truncar os artigos visando divulgação pelas redes sociais.

    No meu caso específico redes sociais são proibidas no trabalho e sempre acesso o pequeno investidor no trabalho. Estimular o uso das redes sociais é realmente importante mas fazer isso ao custo do conteúdo do site achei de mau gosto.

    De qualquer forma te deixo um abraço e um 2012 de sucesso. Enquanto permanecer o bloqueio não acessarei mais o site.

  • Fábio Portela <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Fábio Portela</a></span></span>

    Prezados leitores,

    Desativei a função para esse artigo. Mas vou ativá-la para alguns, mais antigos. Acho que assim consigo um equilíbrio: os leitores que estão no trabalho poderão acompanhar todos os textos novos, mas terão o acesso bloqueado a alguns dos textos no serviço, a não ser que compartilhem os textos em alguma das redes sociais.

    Por que estou fazendo isso? Porque tive um aumento de custo substancial no blog, e preciso de mais leitores para que a renda auferida por meio das propagandas se torne relevante.

    Por que os custos aumentaram? Porque tive que contratar um servidor dedicado para aguentar o número de acessos ao blog (para que vocês tenham uma ideia, hoje são aproximadamente 2.000 leitores/dia, com um número de quase 10.000 páginas vistas ao longo do dia, já que temos quase 5 páginas vistas por cada visitante). Essa é uma média fenomenal, já que a maioria dos blogs têm menos de 3 páginas por visita… atribuo esse sucesso à qualidade dos textos.

    Não sei se vocês perceberam, mas o blog hoje está mais rápido. Antes estava caindo demais, e o problema era a quantidade de acessos, que estava sobrecarregando o servidor. Hoje, estou pagando quase R$ 200,00 POR MÊS para que o blog permaneça no ar e, para custear isso, tenho que colocar as propagandas… e preciso que os leitores cliquem nelas para que eu possa pagar pelo blog.

    Veja bem: eu não estou pedindo para ninguém clicar em alguma das propagandas. O movimento é natural: quanto mais leitores, mais gente clica nelas. Nunca pedi isso a ninguém: mas, se a maioria dos leitores gosta de não pagar nada pelo acesso ao blog – e eu nunca pensei em cobrar ninguém por isso -, é preciso que compreendam que eu também não posso ter prejuízo financeiro para dar acesso a ele. Mas a divulgação nas redes sociais ajuda a promover o acesso ao blog por novos leitores e, com isso, mais gente acaba se interessando em clicar em alguma das propagandas e a minha conta acaba sendo paga com isso.

    Sem isso, fica difícil manter o blog rápido e com a qualidade que procuro manter desde o início. Espero que compreendam minhas razões.

    • Jader <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Jader</a></span></span>

      Fábio,

      Obrigado pelos esclarecimentos, acredito que a solução que tu propôs seja muito boa.

      Volto a dizer que achei boa a idéia e não te critiquei por estimular o uso das redes sociais.

      Espero que as novas medidas te ajudem a equilibrar o caixa do site.

      Uma outra sugestão seria de utilizar de crowdfunding para te ajudar, pesquise sobre essa modalidade de colaboração e proponha para nós leitores. Eu apoiarei :D

  • Nélio <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Nélio</a></span></span>

    Bom, cada um sabe onde o calo aperta, então só me resta torcer para que quem, como eu, não participa de nenhuma rede social, já tenha lido todos os artigos antigos.

    Eu não tenho e nem pretendo ter blog, Twitter, Facebook, Google+, Orkut, LinkedIn etc. justamente porque acho que meu tempo vale muito pra ser gasto nesses sites e tenho CERTEZA de que compartilhar informações pessoais neles é comprar um risco a troco de NADA. Então sugiro que uma das opções de compartilhamento possíveis seja o e-mail, a exemplo de outros inúmeros sites.

  • Maicson <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Maicson</a></span></span>

    Concordo plenamente com as palavras do Fábio!

    Principalmente na parte sobre o seu sucesso atribuído a qualidade dos textos!

    O que vcs querem com essas cobranças? Desestimular o Fábio e ele acabar por fechar o site nos privando de seus robustos conhecimentos?

    Pensem…. Pensem bem, antes de mais nada!

    • Fábio Portela <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Fábio Portela</a></span></span>

      Maicson,

      Nem penso em fechar o site… mas com certeza teria que recontratar um servidor mais barato, que tornaria o site mais lento – ou então em pensar em alternativas de financiamento para mantê-lo aberto. Uma delas, que muitos blogueiros usam, é a de disponibilizar uma parte dos artigos apenas para leitores que paguem uma determinada taxa. Mas eu não quero nem pensar em fazer isso: o objetivo é deixar o site aberto a todos.

      Abraços,
      Fábio

  • Maicson <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Maicson</a></span></span>

    Obrigado pelos maiores esclarecimentos, Fábio!

    Mas caso vc opte por cobrar uma taxa mensal pelos seus melhores e mais dedicados textos, acho que isso só irá acelerar mais ainda o sucesso e qualidade do seu site.

    Profissionalismo e reconhecimento em nível nacional será o seu caminho natural!

    Já pensou em tirar um CNPI?

    ;^)

    • Fábio Portela <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Fábio Portela</a></span></span>

      Não penso em cobrar, Maicson… acho que o que torna a internet interessante é a possibilidade de muito ser feito sem ser cobrado. Quanto ao CNPI, já pensei em tirar… só me falta tempo para estudar!!

      Abraços,
      Fábio

  • Maicson <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Maicson</a></span></span>

    Modéstia sua…

    Com seus conhecimentos já acumulados, acho que se vc só apresentar todo o seu trabalho já acumulado aqui no seu site pro pessoal da APIMEC, eles te concedem o CNPI imediatamente e sem necessidade de vc provar mais nada.

    Entre em contatos com eles e se informe. Já ouvi falar sobre essa possibilidade numa outra discussão de alto nível em passado recente.

    Seria uma espécie de título honoris causa bursátil!

    ;^)

    • Fábio Portela <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Fábio Portela</a></span></span>

      hehehe… que nada, rapaz! Acho difícil acontecer. Mas valeu o incentivo! :)

    • Nélio <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Nélio</a></span></span>

      Faltou dizer “Fábio, antes que eu me esqueça, se você espirrar, SAÚDE!”.

      Menos, Fagundes, menos… rs…

  • jose guilherme <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">jose guilherme</a></span></span>

    Fabio!, apoio seu blog e é perfeitamente compreensivel sua explicação, afinal não existe almoço de graça.

    abraços

    jose guilherme – Goias

  • http://investindo-todo-mes.blogspot.com/ http://investindo-todo-mes.blogspot.com/ <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">http://investindo-todo-mes.blogspot.com/</a></span></span>

    Bom post Fábio,
    realmente o site esta mais rápido!

    ITM

  • James Nascimento <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">James Nascimento</a></span></span>

    Concordo com o Jose Guilherme. Não existe almoço de graça.

  • Maicson <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Maicson</a></span></span>

    Olá Portela,
    Estou com uma dúvida quase filosófica. Aproveitando a sua formação, ei-la: se eu preciso recomendar um artigo nas redes sociais para terminar de ler, mas só consigo recomendar sabendo se é bom, e só saberei se é bom depois de ler… agora me enrolei rsrsrs

    • Fábio Portela <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Fábio Portela</a></span></span>

      Maicson, foi uma tentativa de divulgar o blog. Infelizmente, nossos leitores não o têm divulgado muito nas redes sociais e tentei apimentar um pouco as coisas. Uma tentativa frustrada, mas acho que valeu. Sigamos em frente. Espero que a receita nos próximos meses seja suficiente para manter o servidor… se não, vou ter que pensar nas alternativas.

  • Daniel <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Daniel</a></span></span>

    Olá Fábio, parabéns pelo blog e pelo compartilhamento de seus conhecimentos!
    Estou com dúvidas em relação a alguns indicadores, particularmente LPA e VPA. Realizei um análise da VALE, a partir dos dados do site comdinheiro.com e obtive resultados diferentes dos seus. Pude observar que o problema foi no dado histórico do n° de ações da empresa. Então vem a pergunta: qual é a melhor fonte para obter o correto valor do número de ações (histórico) de uma empresa?

    • Fábio Portela <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Fábio Portela</a></span></span>

      O problema é justamente que o comdinheiro não recalcula o LPA a partir do número atual de ações. Ele mostra o LPA de cada ano, tal como foi divulgado. Mas isso é um erro: vc tem que recalcular o LPA sempre a partir do número ATUAL de ações, para evitar essas distorções.

  • FabioL <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">FabioL</a></span></span>

    Olá Fabio!

    Acho que a opção de doação seria uma boa. Se cada leitor doasse R$ 1 por mês, pagaria o serviço e sobraria.

    É claro que nem todo mundo doa, mas também quem doa certamente contribuiria com um pouco mais de R$ 1.

    Eu certamente doaria, pois acho os textos de excelente qualidade.

    Tenta ver isso.

    Abs,
    FabioL

    • Fábio Portela <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Fábio Portela</a></span></span>

      Obrigado, xará!
      Estou pensando no assunto… vamos ver como ficamos. Obrigado pela sugestão.

  • http://vidaruimdepobre.blogspot.com/ pobretão de vida ruim <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">pobretão de vida ruim</a></span></span>

    Pensei que já faturasse um bom dinheiro com as propagandas que tem. O site ainda não dá lucro?

    Pensei que sites com este nível de visitas gerasse faturamento Fábio.

    http://vidaruimdepobre.blogspot.com/

    • Fábio Portela <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Fábio Portela</a></span></span>

      Agora as contas estão relativamente equilibradas entre receita e despesa agora. Se eu tiver que aumentar o nível do servidor novamente, já não há caixa.

  • http://www.twitter.com/ftremonti Fernando Tremonti <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Fernando Tremonti</a></span></span>

    Legal o artigo! É isso aí, analise fundamentalista é mais que olharmos um indice isoladamente. Um indice complementa o outro, fora a visão do setor. Abraço!

  • lucas borges reis <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">lucas borges reis</a></span></span>

    Por favor acompanhem meu raciocínio!

    Olhando o VPA do BBAS3 vejo que ele está em 20,88 e a cotação estava hoje em 19,15. Isso quer dizer que a ação está sendo vendida abaixo do preço? Olhei no site do guiainvest o preço justo do Banco do brasil, e apareceu o seguinte: Preço justo:R$ 113,05 Margem de segurança: 490%.

    Gostaria de saber se este meu raciocínio é correto?

  • Rubens <span itemscope="itemscope" itemtype="http://schema.org/Person"> <span style="display:none;"><a rel="author" name="comment_author" itemprop="name" href="" title="author">Rubens</a></span></span>

    Fabio, acredito que vc confundiu P/VPA com VPA/P. Como está valor deveria ser 1,5 ao invés de 0,66