ETF IT Now IDIV: uma boa maneira de ganhar dividendos sem dor de cabeça

3 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 2 LinkedIn 1 Email -- Filament.io 3 Flares ×

Investir em ETF (Exchange Traded Fund) é uma grande maneira de investir em ações para quem não tem tempo de analisar individualmente cada uma das ações em que investe e também não quer pagar as altas taxas de administração cobradas pelos fundos de investimento. Além disso, uma boa maneira de investir em ações é comprar ações de empresas que pagam bons dividendos. Que tal, então, juntar as duas coisas? Investir em ações de empresas boas pagadoras de dividendos com a comodidade de um fundo de investimento, sem pagar taxas tão altas? É o que oferece o ETF It Now IDIV.

Como funciona o ETF IT Now IDIV?

O objetivo de um ETF é reproduzir o desempenho de um índice em particular. O BOVA11, por exemplo, reproduz o desempenho do índice Ibovespa. O IT Now IDIV, por sua vez, busca reproduzir o desempenho índice Dividendos, que é composto pelas empresas do Ibovespa que apresentaram os maiores dividend yield nos 24 meses anteriores à seleção da carteira, excluídas as empresas que emitem BDRs ou que estejam em recuperação judicial ou em falência. O índice inclui empresas como Ambev, Banco do Brasil, Cielo, Cemig, Coelce, CPFL Energia, Eletropaulo, Marcopolo, BM&F Bovespa, entre várias outras.

Para investir, o processo é idêntico ao da compra de uma ação. Basta digitar o código do ETF no home broker – no caso, o código é DIVO11 – e comprar o ativo.

Em termos de rentabilidade, o índice Dividendos tem superado o Ibovespa com consistência nos últimos anos, como ilustra a tabela abaixo:

ETF

 

Embora haja períodos em que o índice Dividendos perde do Ibovespa – principalmente nos períodos de alta espetaculares, o índice mostra muito mais resiliência nos momentos de queda. No longo prazo, isso significa que, quando o Ibovespa dispara, o índice Dividendos sobe menos; mas quando o Ibovespa despenca, a tendência do índice é cair menos ou, em alguns casos, até subir. No ano passado, por exemplo, o índice Dividendos subiu 13,99%, quando o Ibovespa despencou quase 20%. Ou seja, quem investiu em algum fundo que replicasse esse índice praticamente não viu a crise do ano passado. Além disso, a crise de 2008 foi bem mais suportável para quem investiu nas ações que compõem esse índice: uma queda de 23,34% contra mais de 40% do Ibovespa. Em vermelho, estão destacados os anos em que o índice Dividendos perdeu para o Ibovespa; em azul, os anos em que o índice superou o Ibovespa.

No acumulado, o índice apresentou ganho de 114,83% contra 27,62% do Ibovespa.

Quais os custos de investir no ETF DIVO11?

O custo é o mesmo de investir em qualquer fundo de ações: taxa de administração e imposto de renda. A taxa de administração, contudo, é mais barata: enquanto a maioria dos fundos de ações cobra cerca de 2% (ou até mais) para quem investe, no ETF a taxa é bastante mais amena: no caso do DIVO11, apenas 0,60% ao ano. Cuidado apenas com o imposto de renda: ao contrário do investimento em ações, que ainda goza de isenção para resgates até R$ 20.000,00, o investimento em ETFs não possui limite de isenção. Ou seja, qualquer resgate é suscetível de pagamento de imposto à razão de 15% sobre o lucro obtido.

De minha parte, estou pensando seriamente em alocar os meus futuros investimentos que seriam destinados à renda fixa para esse fundo. É bastante mais volátil do que o investimento em títulos do tesouro, mas acredito que no médio e longo prazo a rentabilidade será mais compensadora. Além disso, considero que meu “colchão de segurança” em investimentos em renda fixa já está formado, razão pela qual considero razoável assumir um pouco mais de volatilidade em minha carteira.

E você, já investe em ETF ou se interessou pelo investimento em ETF? Não deixe de opinar sobre o tema, mostrando seu ponto de vista aos demais leitores!

Opt In Image
FIQUE ATUALIZADO!
Insira aqui o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Seu e-mail não será divulgado. Sua privacidade é prioridade na política de transparência do blog.

Fábio Portela é investidor desde 2006 e disponibiliza neste site seus conhecimentos adquiridos ao longo do tempo, seja com sua experiência, seja por meio das leituras que fez ao longo dos anos. O autor é mestre em Direito Constitucional e em Filosofia pela UnB, e atualmente cursa doutorado em Direito Constitucional na mesma instituição.

  • Felipe Pessoa

    Olá, Fábio!
    Mais um exelente artigo em seu blog. Você poderia postar ou informar um link aonde se possa ver quanto foi pago em valores pelo DIVO11 nos últimos anos. Focar em dividendos para o longo prazo e uma estrategia que venho adotando, por isso duas empresas como elpl4 e bbas3 em minha carteira.
    Abs
    Felipe

    • Fábio Portela

      Felipe, os dividendos são reinvestidos no próprio fundo, aumentando a rentabilidade!

      • Felipe Pessoa

        Fabio, Deixe me ver se entendi, você postou que o fundo nos últimos anos rendeu 114,83%
        Supondo que eu tivesse aplicado R$ 1000,00 teria hoje R$ 2.150,00? Seria isso? Caso não seja pode dar algum exemplo?
        Eu arredondei para 115% para ficarmos com números exatos.

        • Fábio Portela

          Isso mesmo! A conta é essa aí mesmo.

  • Nélio

    Fábio, se não me engano a taxa de administração é de 0,69% a.a., e não 0,60%.
    O que você acha da baixa liquidez desses ETFs? Eu penso em deixar um dinheiro de pinga no SMAL11, mas fico com o pé atrás quando vejo a liquidez do "papel"…

  • Tarcisio

    Artigo muito interessante e importante para a formação do pequeno investidor. De minha parte, lamento que tenha que pagar IR para qualquer venda. Se fosse igual às ações, já estaria investindo imediatamente. Afinal, considero que mais um grande diferencial de administrar (eu mesmo) minha própria carteira – e não confiar os recursos a um fundo – é poder controlar possíveis resgates dentro de um limite isento de IR. Fábio, é certeza essa tributação nos ETFs?

    • Fábio Portela

      Certeza! Infelizmente…

  • Victor

    Interessante a reportagem, atualmente já investo em ETF !

  • http://açoes givaldo lau da silva

    açoes do bbas3  paga 6.00% e uma boa opsao para longo prazo

  • Ferrão

    Muito bom o artigo Fábio.
    Realmente é uma ótima opção para longo prazo. Mesmo com o Leão, que infelizmente diminui as margens, ainda é um ótimo fundo de ações.

  • ALEXANDER PRIETO

    Compartilho, no mesmo sentido, a opinião dos demais leitores. Excelente artigo Fábio, cada vez sou mais seu fã.

  • Mohamed Henker

    Boa noite
    Fabio
    Estou sempre ligado nos textos do seu site e agradeço por ajudar a mostrar novos meios de investimento.
    Estou iniciando meus investimentos esse ano e graças ao site já sei em que roubadas não entrar.
    obrigado pelo trabalho duro.

  • Rafael

    Essa propaganda lateral já incomodava, só que agora ela deixou a leitura do site simplesmente impossível! A barra tá se sobrepondo ao texto, então a única forma de não "comer" as primeiras palavras é abaixando a barra, o que deixa cerca de 10% no máximo da tela livre, umas 3 linhas. Algo que realmente ENCHE o saco, nota 0 em usabilidade. Eu entendo que o blog precise de patrocínio e propagandas para se manter. Mas a partir do momento que ela IMPEDE a leitura do conteúdo dos textos, pra mim o blog morreu. Visitarei ele novamente daqui a uns dias, se o problema não tiver sido corrigido, desisto dele de vez.

    • Fábio Portela

      Rafael,

      Isso é muito estranho… provavelmente, é um problema na resolução do seu browser. No meu e em todos os computadores/dispositivos em que leio, tudo aparece direito.

      Atenciosamente,
      Fábio

    • http://dimarcinho.blogs.advfn.com/ dimarcinho

      Rafael,
      eu estava tendo o mesmo problema; tente atualizar o seu navegador ou tente utilizar outro!
      []s!

  • LuizF

    uma pena qu esse DIVO11 reinvista os dividendos. estou indicando uma carteira para meus pais aposentados, e eles gostariam de ficar recebendo dividendos sem corroer o investimento. resta esperar um ETF com esse foco.

    • http://dimarcinho.blogs.advfn.com/ dimarcinho

      Luiz,
      Acho que para este caso seria mais interessante um fundo imobiliário, que pagam todos os meses, como se fosse um aluguel.
      Dê uma olhada no assunto.
      []s!

  • Beto

    Caro Fábio e demais comentaristas,
    Adorei o texto e os comentários. Meu caso é justamente este. Estou pensando seriamente em entrar nestes ETF’s.
    Outros comentários:
    1) Qual o valor mínimo para investir nos ETF’s, ou melhor, quanto que é dinheiro de pinga Nélio? Perto da minha casa tem um boteco que a dose de água-ardente é R$ 3,50, mas acho que não é um bom parâmetro para eu seguir…
    2) “uma pena qu esse DIVO11 reinvista os dividendos.”
    Aprendi por estes dias que quando a empresa reinveste os dividendos é o comportamento mais correto de se tratar com ações. Muitos economistas não entendem o motivo das empresas pagarem dividendos! Consideram isto absurdo na prática, pois a melhor coisa é reinvestir, pois evita-se até alguns impostos. Segundo alguns pesquisadores de finanças comportamentais, as pessoas preferem receber dividendos do que vender as ações que possuem, devido a um viés psicológico, sem muito sentido prático,  já que receber dividendos corrói o patrimônio da mesma forma, ou até mais do que vendê-las. (veja mais detalhes em “Desafiando os Deuses. A fascinate história do risco”, Peter Bernstein, capítulo 17).
    3) A barra é esquisita mesmo, eu acabo associando algo desconfortável com a marca. Tem efeito contrário ao do que o patrocinador deseja. Atualizar o meu navegador só por causa disto, vixi, aí que eu não compro este telefone barulhento mesmo;
    Um abraço e bons investimentos gente,
    Beto
     

  • Cézar

    Muito boa a dica.
    Invisto desde 2007 no Tesouro Direto. Meus melhores investimentos até hoje foram os títulos comprados no fim de 2008. Tenho NTN B pr de 10% + IPCA. Depois que fiz uma reserva passei a investir 50% em TD e 50% em BOVA 11. Faço rebalanceamento se um superar o outro em 30%, como aprendi no sitedo INI (Asset Alocation). Com a queda da bolsa no ano passado fiz o primeiro rebalanceamento e comprei um montante bom de BOVA 11 com a bolsa próximo a 50.000 pontos. Foi ótimo. Mas esse ano parei, pois a bolsa subiu bem e as taxas reais do TD estão muito baixas. Estou com as sobras paradas. Tava pensando em colocar na poupança mesmo para esperar. Mas a idéia do DIVO11 é muito boa. Não sabia dessas rentabilidades. Existem dados mais antigos do Índice de dividendos comparados ao Ibovespa?

  • Zuca

    Caro Fábio,
     
    Gostei muito do artigo dobre o DIVO11 e me pareceu muito bom para a minha esatrégai de liquidar minhar ações (aprox. R$ 100.000,00) e passar a investir somente em ETF´s, mesmo com o imposto de renda.
    Estou considerando adquirir 50% Bova11 e 50% Divo11. Você acha que deveria incluir mais algumas ETF´s nesta composição.? Quais sugere? Em que percentual?
    Minha visão é de aplicar agora para pensar em sacar após, 5 ou 7 anos.
    O que você acha?
    Um abraço,
    Zuca

    • Edgard

      Eu incluiria as ETF´s: PIB11 e SMALL11

  • http://- saimon_rijo

    Eai Fabio,
    Ve se eu entendi bem esse etf, em relacao ao irpf de 15%, no caso se eu comprar 10k de etf divo11 e ao longo dos anos conseguir uma rentabilidade de 100% estaria com 20k quero me desfazer deste etf, devo pagar os 15% dos 20k? no caso seria em torno de 2500? será q seria um bom negocio?

  • Fabricio

     
    Olá Fábio, ainda não possuo ETFs em carteira. Estou na bolsa desde out/2008. Já tenho uma carteira bastante balanceada entre os setores da economia e também entre empresas de crescimento e pagadoras de dividendos.
    A minha dúvida é a seguinte. Quando recebemos os dividendos das nossaas empresas, os recebemos líquidos de IR,certo? Nos ETFs como DIVO11 os dividendos são incorporados aos valores das cotas. Uma vez incorporados, o ganho de capital no momento da venda do ETF será novamente tributado, ou seja, dupla tributação (na empresa S.A. antes da distribuição do provento e no ETF na alienação das cotas).  Portanto, no LP provavelmente uma boa carteira de ações seja mais interessante que um ETF que tributa o seu dividendo.
    Aguardo o seu parecer.
    Obrigado. Fabricio
     

    • Fábio Portela

      Fabrício,

      Esse problema aconteceria com quem investe em ações também, se o investidor reaplicasse os dividendos, comprando ações. Na hora de vender as suas ações, as que foram compradas com o dinheiro dos dividendos também seriam tributadas.

      Fábio

      • Fabricio

        Fábio, mas pelo menos poderia, através da sua carteira de ações, resgatar os dividendos sem tributação e nos ETFs não tem jeito. Num eventual investimento objetivando aposentadoria/cash flow as retiradas nos ETFs serão sempre tributadas.

    • LuizMG

      Não. Vc vai pagar 15% sobre a diferença de 10.000. Claro?

  • Daniel Borges

    Excelente artigo, parabéns e obrigado!

  • LuizMG

    Fabrício, acho que acumular ações em ETF tem um custo menor, tanto em termos financeiros quanto em termos de estresse. E se vc conseguir chegar até 50.000 cotas (no caso do DIVO11) vc pode convertê-las em ações da carteira, em vez de vender as cotas no mercado. Acho que investir em ETFs é uma boa estratégia para o longo prazo. Estou com PIBB11 e DIVO11. E aos poucos estou convertendo as demais ações em ETFs, mantendo uma alocação 40/20/40 (RF/FII/RV) que é adequada para o meu perfil mais moderado. Grande abraço e bons investimentos.

  • Frederico

    Olá Fabio, valeu demais pelo artigo. No caso do idiv, como recebemos os dividendos das empresas ?