O melhor investimento de 2013

2 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 2 LinkedIn 0 Email -- Filament.io 2 Flares ×

Qual será o melhor investimento de 2013? É só começar o ano e começam as previsões. Especialistas falam em ações, ouro, fundos imobiliários e tesouro direto como os destaques do ano. Mas será que eles estão certos? Será possível saber de antemão o que acontecerá em 2013?

As previsões só acertam o melhor investimento por acaso

E todo ano minha resposta é a mesma. O investidor não deve se preocupar com essa questão. Muitos se preocupam em descobrir qual será o melhor investimento do ano porque querem acertar em cheio e fazer aposta naquele investimento que dará o maior retorno possível no ano.

Os mais conservadores dizem que o ouro será novamente o destaque. Para outros, esse será o ano das ações. E com certeza há quem acredite que será o ano dos fundos imobiliários, do tesouro direto, dos imóveis ou de qualquer outro tipo de investimento.

Seria ótimo se tivéssemos uma bola de cristal. Mas ela não existe, assim como também não existem métodos capazes de descobrir antecipadamente qual será o grande investimento de um período de tempo tão curto quanto um ano. Evidentemente, algum dos “videntes” de plantão acertará qual será o melhor investimento do ano. Mas isso não será por causa de alguma capacidade preditiva mirabolante, mas simplesmente porque alguém tem que acertar, com tantas previsões.

Mas ninguém deveria se preocupar com isso.

Você já parou para pensar no quanto é arbitrário o prazo de um ano? Aliás, é arbitrário mesmo. Um ano só dura os 365 dias e tem o nosso formato, dividido em 12 meses, por causa de uma convenção realizada em 1582, pela promulgação do calendário pelo papa Gregório XIII. Mas você já parou para pensar como é uma medida imperfeita? A cada 4 anos, precisamos de um ano bissexto para enfiar em fevereiro um dia a mais e compensar um pouco os erros astronômicos que ocorrem a cada ano. Os vários meses do ano têm número irregular de dias – alguns com 30, outros com 31 e fevereiro, com 28 ou 29. Por que o ano não começa em março e não temos 20 meses? Porque a convenção não foi essa, ora bolas. Não estou dizendo que o calendário é inútil; na verdade, ele é uma boa aproximação para certos eventos astronômicos – como o tempo que a Terra demora para dar uma volta completa ao redor do Sol. Mas é só isso.

Melhor investimento é investir

Por que alguém deveria se preocupar com o retorno de seus investimentos em qualquer ano específico? Pois é; não deveria. É apenas uma medida que não interferirá em nada no desempenho da carteira de ninguém no longo prazo. Isso é muito arbitrário, e só serve a um propósito: causar problemas emocionais nos investidores. E o pior é que afeta o mercado. Você já viu essa alta na bolsa de valores que ocorreu entre o fim do ano passado e o início desse ano? Provavelmente, foi o “efeito calendário”: no final do ano, os grandes fundos precisam mostrar resultado e começam a comprar ações, o que eleva o preço do mercado. E o início do ano também vem acompanhado de uma boa valorização – talvez por causa do otimismo do mercado com o início do ano. Afinal, ano novo, vida nova não é? Claro que a desculpa não foi essa, mas o resultado das negociações que encerrou o “abismo fiscal” nos Estados Unidos. E a crise européia? Já esqueceram ela?

No curto prazo, o mercado de ações sobe porque sobe. Não adianta buscar culpados; é claro que os analistas têm que arrumar as causas e alinhavar as consequências. Mas normalmente é pura aleatoriedade, no dia a dia. No longo prazo, como nos lembra Benjamin Graham, a explicação é clara: bons fundamentos empurram os preços para cima, e fundamentos ruins os empurra para baixo. Só isso.

Onde investir, então? O investidor deve se preocupar em investir em ativos com bons fundamentos. Renda fixa, ações, fundos imobiliários, imóveis, não importa onde. O importante é investir e garantir, aos poucos, uma rentabilidade que garanta a verdadeira independência financeira, que é a de não depender de ninguém para conseguir manter o estilo de vida desejado.

Opt In Image
FIQUE ATUALIZADO!
Insira aqui o seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Seu e-mail não será divulgado. Sua privacidade é prioridade na política de transparência do blog.

Fábio Portela é investidor desde 2006 e disponibiliza neste site seus conhecimentos adquiridos ao longo do tempo, seja com sua experiência, seja por meio das leituras que fez ao longo dos anos. O autor é mestre em Direito Constitucional e em Filosofia pela UnB, e atualmente cursa doutorado em Direito Constitucional na mesma instituição.

  • http://www.investindonabolsa.com Vinicius Oliveira

    Olá Fábio,
    concordo contigo quando cita as “previsões” como inúteis em um contexto mais amplo dos investimentos. Realmente oque interessa, à longo prazo, é investir em empresa boa. Porém essa é uma visão da escola fundamentalista.
    Podemos também vencer a longo prazo ‘operando’ o mercado, utilizando análise técnica. Ambas as formas, quando bem aplicadas, são eficazes.
    No entanto, no caso da análise técnica com operações de curto/curtíssimo prazo, podemos também ganhar operando empresas com maus fundamentos. É uma estratégia que dá mais trabalho, gera mais ‘stress’, mas funciona.
    Enfim, concordo com o seu ponto de vista sim, parabéns pelo texto.

    Abraços,
    Vinícius Oliveira

  • Vera Oliva

    Olá Fábio,
    Ultimamente ando lendo mt. sobre mercado financeiro afim de entender e compreender melhor.Sempre tive a popular POUPANÇA, mas ando triste com os rendimentos. Mas ao avaliar alguns investimentos percebo que o melhor é COMEÇAR, não importa a escolha e rendimento.Pois o tempo passa depressa demais para nossos sonhos, se pensarmos se o que investimos contemplará tais realizações.
    Parabéns, pelas publicações.

  • http://crisedodolar.blogspot.com.br/ Eng. Guimarães

    Fábio, tudo bem? Dá uma olhada aqui e veja se o ouro não promete ainda MUITO mais por vir …

    abs

    http://crisedodolar.blogspot.com.br/2013/01/kyle-bass-sobre-estrutura-da-divida.html

  • Tony

    O melhor investimento em 2013 é investir em educação financeira! Li isso e acredito que dessa forma consegue-se a visão necessária à tão peculiar resposta desse tópico. “Manual do pequeno investidor em ações” deve ser um bom começo. Abraço

  • juliano

    Caro Fábio: ha fundamentos no citado acima. mas esta muito longe de uma verdade em muitos aspectos e mais , muito generalismo leva a erros…

  • Graziele dos Santos

    Telexfree este é o investimento do ano.